Notícias

OPERAÇÕES ANTISSEQUESTRO

Curso visa uniformizar procedimentos operacionais de ocorrências de sequestro

23/11/2018 - 13:03

Assessoria | PJC-MT

Um curso voltado especialmente à atividade investigativa de crimes de extorsão mediante sequestro, roubos a banco, a defensivos agrícolas e enfrentamento a organização criminosa iniciou nesta sexta-feira (23.11), em Cuiabá.

O 2ª Curso de Operações Antissequestro, coordenado pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) e a Academia de Polícia Civil (Acadepol), objetiva uniformizar os procedimentos operacionais nas ocorrências criminais, buscando a eficácia das ações, reduzindo risco a vítimas e policiais.

Até o dia 7 de dezembro 24 alunos passarão por intenso treinamento nas áreas investigativa e operacional. Serão 140 horas/aulas, sendo 100 horas investigativas e 40 horas de treinamento operacional, em ambientes diversos da maioria das aulas teóricas e práticas.

A aula inaugural ocorreu nesta manhã, no auditório da sede da Diretoria Geral da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, na capital, com a presença do secretário de Segurança, Gustavo Garcia, secretário de Justiça e Direitos Humanos, delegado Fausto José  Freitas da Silva, do secretário-adjunto de Integração Operacional, coronel PM, Jonildo Assis, do comandante do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAer), tenente-coronel PM. Juliano Chiroli, dos diretores da Polícia Civil, Rogério Atílio Modeli (Atividades Especiais), Mário Dermeval Aravechia de Resende (Execução Estratégica), Anderson Clayton da Cruz e Veiga (Metropolitano), Carlos Fernando da Cunha (Academia), alunos e o convidado especial e palestrante da primeira aula, delegado Fábio Nelson Fernandes, titular da Divisão Antissequestro da Polícia Civil de São Paulo.

O delegado titular da GCCO, Diogo Santana Souza, em sua fala, ressaltou a importância dos  parceiros e colaboradores para realização curso, como a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Banco do Brasil, Banco Santander e Bravo Logistic, além de outros parceiros os quais o delegado entregou certificado de agradecimento e placa de homenagem.  

Para o delegado é necessário difundir o conhecimento não somente aos policiais que atuam na Gerência, mas também para policiais de outras unidades do estado, em razão de muitas das ocorrências serem eles os primeiros a chegarem ao local.

“É muito importante que um crime, por exemplo, de extorsão mediante sequestro cometido, em Cuiabá, seja enfrentado, investigado da exata maneira que no interior do estado. Ao longo dos anos, isso se mostrou a maneira mais eficaz, que apresenta menos riscos, tanto para as vítimas quanto para os policiais”, frisou.

O diretor de Atividade Especiais, delegado Rogério Atílio Modeli, lembrou o processo rigoroso de seleção dos alunos, que após teste de aptidão física, análise de perfil e outros critérios, foram aprovados à capacitação. “Hoje não tem indicação em nossos cursos, selecionamos os mais aptos”, afirmou.

O secretário de Segurança, Gustavo Garcia, que também recebeu placa de homenagem, destacou a função da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) dentro do sistema de segurança pública de Mato Grosso.

“Essa Gerência enfrenta os principais problemas do estado, eventos que causam muita repercussão social e seus servidores precisam estar capacitados, ter esse olhar especial porque estão em uma demanda extraordinária, que exige resposta eficiente”, asseverou.  

Aula inaugural

Com experiência de mais de 17 anos na atividade de crimes ligados a extorsão mediante sequestro no estado de São Paulo, o delegado Fábio Nelson Fernandes, titular da Divisão Antissequestro da Polícia Civil de São Paulo, ministrou aula sobre as ações práticas e conhecimentos adquiridos durante os vários anos de atuação à frente de casos de sequestro em São Paulo.

“E uma investigação muito complexa, que se tem a negociação paralelamente com a investigação. O grande negócio de trabalhar com o crime de sequestro é saber que estamos investigando para salvar. Isso é o que movimenta os times antissequestros e fazem com  que os policiais se doem para que a solução seja a melhor possível, que é o retorno da vítima para casa.  Nas atividades de polícia judiciária não há nenhum crime que você atue ou investigue, que tenha um prêmio tão grande que é o retorno de um ente querido à sua família”, disse.

Homenagens

Além das empresas e instituições homenageadas pela parceria junto a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), também receberam agradecimentos na forma de placa: o secretário de Segurança Gustavo Garcia; o secretário de Justiça e Direitos Humanos, delegado Fausto José  Freitas da Silva; o comandante do Centro Integrado de Operações Aéreas (CIOPAer), tenente-coronel PM Juliano Chiroli; o delegado geral da PJC, Fernando Vasco e os diretores Rogério Atílio Modeli (Atividades Especiais), Mário Dermeval Aravechia de Resende (Execução Estratégica), a delegada chefe de gabinete, Cleibe Aparecida de Paula; o delegado do GOE, Ramiro Mathias Ribeiro Queiroz; o investigador Sidney Ribeiro Santana (DERRFVA, em tratamento no hospital Sara Kubitsckek, em Brasília, após ser ferido durante ocorrência de sequestro no final de 2017), investigador Santhiago Marcondes Soares (GCCO), o escrivão recém-aposentado, Paulo Alves Alencar (GCCO) e também o delegado da PC-SP, Fábio Nelson Fernandes, palestrante da aula inaugural.

Foto: Asscom-PJC-MT
A PJC também está no Facebook, Flickr e Instagram. Siga-nos!

Assessoria de Comunicação Social
www.pjc.mt.gov.br
asscom@pjc.mt.gov.br
(65) 3613-5673

Compartilhe essa notícia