Notícias

OPERAÇÕES ESPECIAIS

Polícia Civil forma 16 policiais em Curso de Operações Policiais

29/03/2018 - 13:41

Assessoria | PJC-MT

Dezesseis profissionais de segurança pública receberam, na manhã desta quinta-feira (29), os brevês e diplomas do Primeiro Curso de Operações Policiais (COP). O treinamento tático-operacional para emprego em operações especiais foi promovido pela Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, sob a coordenação da Gerência de Operações Especiais (GOE) e suporte pedagógico da Academia de Polícia (Acadepol).

Foram selecionados 42 policiais de forças estaduais e federais, mas devido ao alto grau de dificuldade das atividades, apenas 16 se formaram, sendo 13 policiais civis, 1 policial rodoviário federal, 1 policial federal e 1 oficial da Polícia Militar.

O Curso de Operações Policias (COP) é o primeiro realizado pela Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso, para  qualificar policiais nos aspectos físico, tático, psicológico e intelectual para atuarem em missões de alto risco, visando resposta rápida e eficaz em ocorrências complexas, com emprego  de táticas avançadas usadas pelos melhores grupos de operações especiais do Brasil e também de outros países.

O diretor de Atividades Especiais, Rogério Atílio Modelli, que no ato representou o delegado geral, Fernando Vasco, destacou o empenho da Gerência de Operações Especiais em trazer a Mato Grosso o treinamento técnico-operacional. "Tenho orgulho de pertencer a uma força que se preocupa com a qualificação de seus profissionais, para que possamos prestar serviço à sociedade da mais alta qualidade", disse.

A solenidade de diplomação e brevetação dos profissionais de segurança pública contou com a presença de autoridades, instrutores, operadores do GOE, colaboradores e familiares. Todos receberam homenagens prestadas pela Gerência de Operações Especiais (GOE) por contribuírem para realização do curso e também pela dedicação dos policiais que se empenharam na coordenação, administração e instrução das aulas. Foram 90 pessoas homenageadas com medalhas e certificado de reconhecimento.  

O delegado Ramiro Mathias, chefe da Gerência de Operações Especiais (GOE), e aluno do COP, falou do aprendizado adquirido ao longo dos 20 dias de treinamento. "O espírito de  corpo de uma unidade se faz com esse tipo de forje. Foi uma experiência única. Para quem gosta da atividade de operações especiais significa evoluir muito como pessoa e profissional, e cria identidade na unidade. Para a GOE tenho certeza que foi um marco positivo", declarou.  

O I Curso de Operações Policiais (COP) teve duração de  20 dias, com  carga horária de aproximadamente 200 horas/aulas. Os instrutores são experientes policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Divisão de Operações Especiais (DOE), da Polícia Civil do Distrito Federal, do Grupo Tático 3 da Polícia Civil de Goiás, da Rotam-MT, do Corpo de Bombeiros-MT, do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), Centro Integrado de Operações Especiais Aérea (Ciopaer), o Grupo de Operações Tática Especiais da Polícia Civil do Tocantins, da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos, Assaltos e Sequestro (Garras) da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul.

O coordenador do COP, investigador e chefe de operações, Edcarlos da Silva Campos, disse que em quase 30 anos de existência da Gerência de Operações Especiais (GOE), que foi criada como Grupo, nunca foi realizada uma capacitação com tamanha técnica. "Hoje esses policiais estão preparados para ocorrências de alta complexidade", afirmou.

As aulas aconteceram em ambientes rurais e urbanos, na água e no ar, com instruções que começaram  nas primeiras horas da manhã, mas sem hora para terminar. As disciplinas foram voltadas a preparar o policial para missões de alto risco  e proporcionar conhecimento técnico e tático para servidores no âmbito da segurança pública, além de desenvolver competências necessárias para gerenciar crise, prestar primeiros socorros, conhecimentos em direitos humanos, transposição de obstáculos, lidar com explosivos, treinamento de tiro com variados modelos de armamentos, entre outros.

Do quadro da Polícia Rodoviária Federal, o agente Wanderson de Souza Braga, dos três policiais rodoviários selecionados para o curso foi o único que concluiu. Ele contou que pensou em vários momento desistir, devido ao grau de dificuldade do treinamento.

 "É uma conquista pessoal, uma superação devido ao desgaste físico, mental, psicológico que sofremos durante o curso. Para a instituição representa busca de conhecimento.É um curso de excelência e foi uma satisfação muito grande concluir e poder repassar esse conhecimento para minha instituição", destacou.

Homenagens

Durante a solenidade de formatura do Curso de Operações Policiais (COP) 90 pessoas, dentre autoridades ( Segurança Pública, Poder Judiciário, Ministério Público e  Exército Brasileiro), instrutores, coordenadores, policiais do GOE, ex-gerentes do GOE, ex-chefes de operações e colaboradores foram homenageados com medalhas e certificados de agradecimento.

O delegado Marcos Aurélio Veloso e Silva, que também é vereador por Cuiabá, foi chefe da Gerência de Operações Especiais (GOE) e recebeu uma das homenagens prestada pela unidade que coordenou por vários anos.

"Esse curso é um divisor de águas na história da Polícia Civil do Estado de Mato Grosso. Quando ingressei na instituição tínhamos uma Polícia Civil e um Grupo de Operações Especiais. Hoje temos o nome de Polícia Judiciária Civil  e temos uma Gerência de Operações Especiais. Não que se falar em uma unidade operacional do porte da GOE, sem ter homens formados. Até então, formamos nossos homens em outros estados com auxílio das nossas instituições co-irmãs. Hoje a Polícia Civil passa formar seus próprios operadores", salientou.  

 

A PJC também está no Facebook, Flickr e Instagram. Siga-nos!

Assessoria de Comunicação Social
www.pjc.mt.gov.br
asscom@pjc.mt.gov.br
(65) 3613-5673

Compartilhe essa notícia