Pular para o conteúdo
Voltar

Motorista de aplicativo é indiciado pela Polícia Civil após aplicar golpe em passageira no pagamento de corrida

Suspeito transferiu mil reais da conta da vítima, ao oferecer para ajudá-la, que não tinha prática em lidar com o aplicativo bancário e tem problema na visão
Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT

PJC-MT
A | A

A equipe da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos indiciou nesta segunda-feira (28.11) um motorista de transporte pelo aplicativo Uber, pelo crime de estelionato praticado contra uma passageira de 53 anos. 

A vítima procurou a delegacia especializada e informou que na noite de domingo estava no bairro Vila Arthur quando solicitou uma corrida com destino a sua residência, no São Matheus.

O motorista, conduzindo um Chevrolet Cobalt, a atendeu e ao chegar no destino final da corrida, ela perguntou se ele tinha máquina de cartão para que pudesse efetuar o pagamento. O motorista disse que não tinha a máquina a vítima afirmou que poderia pagar via Pix, mas, que não enxergava direito e não sabia processar o pagamento pela modalidade. Ele se dispôs a realizar a transação bancária para a vítima que, acreditando na boa-fé e devido à limitação visual e por não saber operar o aplicativo bancário, confiou e entregou o celular com o aplicativo desbloqueado e a senha de sua conta para que o homem pudesse fazer o Pix. 

A vítima relatou ainda que como estava demorando muito para realizar o pagamento, ela se dispôs a ir até a casa do vizinho e emprestar o valor, mas o motorista insistiu, afirmando que daria certo a transferência, que estava demorando porque a internet estava com sinal fraco. E, em vez de fazer a transferência no valor real da corrida, de R$ 33,02, ele transferiu R$ 1.000,00 da conta da vítima para uma mulher que depois os policiais identificaram que é namorada do motorista. 

A equipe da Derf realizou diligências e conseguiu localizar a dona da conta que recebeu o Pix e ela informou que na noite de domingo, o suspeito ligou, dizendo que transferiria mil reais para a sua conta e depois, lhe telefonou novamente pedindo que, daquele valor, transferisse 500,00 para a conta dele. A namorada do suspeito informou ainda que era a terceira vez que ele transferia valores para a conta bancária dela. 

Os policiais relataram que o valor recebido era oriundo de estelionato e ela afirmou que
sabia que se tratava de dinheiro de golpe, mas disse desconhecer como era aplicado. A mulher foi detida, encaminhada à Derf e restituiu à vítima o valor de R$ 1.000,00. 

Os investigadores continuaram as diligências para localizar o suspeito, mas não conseguiram, inclusive, porque ele já havia tomado conhecimento, por familiares, de que equipe da delegacia estava à sua procura. Após saber da prisão da namorada, o suspeito se apresentou na unidade especializada e, ao ser interrogado pela delegada Elaine Fernandes, ele, inicialmente, negou os fatos e alegou que tudo não passava de um mal entendido. Disse que a corrida ficou em R$ 35,00 reais, porém, a vítima tinha apenas 25 reais e que fez a transferência de apenas dez reais para a conta de sua namorada. Porém, ao ser confrontado sobre as provas, ele acabou confessando o golpe. 

A namorada do suspeito foi autuada e presa em flagrante por estelionato. Ele responderá ao inquérito e teM duas condenações criminais anteriores por roubo majorado e homicídio qualificado. 

A delegada destaca que durante o interrogatório, o motorista se mostrou frio e sem demonstrar arrependimento sobre a conduta criminosa.