Pular para o conteúdo
Voltar

Polícia Civil prende segundo investigado pelo homicídio de casal de primos no interior

Ele é suspeito também de envolvimento em outro homicídio, de Kaio Richard dos Santos Paulo, de 21 anos
Assessoria | Polícia Civil-MT

PC-MT
A | A

O segundo envolvido no homicídio de um casal de primos de Barra do Bugres foi preso pela Polícia Civil, nesta sexta-feira (27). Ele é suspeito também de executar outro jovem no município, crime registrado um dia após o desaparecimento do casal de primos.

Thaynara Chrystini dos Santos Silva e Carlos Henrique da Silva Souza, ambos de 20 anos, desapareceram no dia 05 de abril. O casal de primos foi visto pela última vez na parte externa de um ginásio poliesportivo, onde ocorriam jogos escolares da cidade. Os corpos das vítimas foram localizados no dia 11 de maio em avançado estado de composição, enterrados em uma região de mata de Barra do Bugres.

As buscas pelos corpos foram realizadas por equipes da Delegacia da Polícia Civil do município com apoio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO). Familiares reconheceram os pertences encontrados como sendo dos dois jovens. Outro investigado pelo crime, que estava com prisão decretada, foi preso na ocasião. 

Perícias estão em andamento para atestar as identidades das vítimas, assim como as circunstâncias em que ocorreram as execuções. As investigações continuam para identificar outros envolvidos.

Outro homicídio

No dia seguinte ao desaparecimento do casal de primos, a Polícia Civil registrou o homicídio de Kaio Richard dos Santos Paulo, de 21 anos, executado com as mãos amarradas. Na ocasião, dois suspeitos pelo crime foram  presos em flagrante.

Desde o dia dos fatos, diversas diligências foram realizadas pela Polícia Civil para identificar os demais autores dos crimes.

Diante dos elementos obtidos, foi representado pela prisão temporária de  mais um dos suspeitos de envolvimento nos homicídios e após expedição do mandado, ele foi localizado e preso pela equipe da Delegacia de Polícia de Barra do Bugres.

O suspeito foi interrogado e as perícias necessárias requisitadas. As investigações seguem sob sigilo.