Pular para o conteúdo
Voltar

Atendimento a vítimas de violência ganha espaço exclusivo em delegacia no norte de MT

O novo espaço foi ambientado para receber as vítimas de forma mais humanizada
Raquel Teixeira | Polícia Civil-MT

PC-MT
A | A

A parceria entre a Polícia Civil em Alta Floresta e instituições do município possibilitou a estruturação do espaço do Núcleo de Atendimento a Mulheres, Crianças e Idosos vítimas de violência. O espaço foi ambientado para receber as vítimas de forma mais humanizada e conta também com uma briquedoteca para as crianças.

Nesta quarta-feira (11.05), representantes das instituições que apoiaram a criação do novo espaço visitaram a delegacia e conheceram o ambiente.

Em 2020, a Delegacia de Polícia de Alta Floresta instituiu o núcleo que passou a contar com uma equipe exclusiva para realizar as investigações sobre crimes praticados contra mulheres, crianças e idosos. “Contudo, o primeiro atendimento das vítimas, sobretudo das mulheres, não era realizado de forma diferenciada em razão da ausência de um espaço adequado que proporcionasse maior acolhimento”, explicou a delegada regional, Ana Paula Reveles.

Neste ano, em parceria com a Associação das Mulheres de Rotarianos, e apoio do Ministério Público Estadual e do Poder Judiciário, foi possível obter o recurso necessário para criar e equipar uma sala de atendimento exclusivo às mulheres, crianças e adolescentes vítimas de violê ncia, possibilitando um atendimento mais digno e acolhedor às vítimas.  “Também contamos com o apoio da Prefeitura de Alta Floresta, que nos cedeu uma servidora para auxiliar nos atendimentos”, acrescentou a delegada.

O espaço conta com quatro ambientes – uma recepção, onde são registrados os boletins de ocorrência, a sala da escrivã, dos investigadores e banheiro.

Atualmente, a equipe especializada conta com seis integrantes: delegado João Lucas Wanick, três investigadores, uma escrivã e uma auxiliar  administrativa, além dos policiais plantonistas que continuam responsáveis pelas lavraturas dos autos de prisão em flagrante delito.

“Esse espaço de atendimento representa um importante avanço no enfrentamento à violência doméstica e familiar em Alta Floresta e uma conquista muito especial à Polícia Civil do município”, argumentou Ana Paula Reveles.